Ambiente do Aluno

Administrando Sua Vida Financeira

Você já parou para pensar o quanto teria economizado nos últimos anos se tivesse feito um plano de ação e poupado o correspondente ao que gastou desnecessariamente?
Normalmente a maioria das pessoas não pensam desta forma. A preocupação é ganhar e poder gastar tudo que ganha ou pior, gastar mais do que se ganha o que compromete as finanças e aniquila o projeto de vida das pessoas. Principalmente quando se começa a recorrer a limite de cheque especial e empréstimo para suprir gastos, que na maioria das vezes são desnecessários. Como por exemplo, ir a um restaurante mais caro por que todo mundo vai, comprar lançamentos de produtos que não vão melhorar em nada em sua vida, e você não vai usar tudo o que ele te oferece, consumir serviços que nem sempre precisamos como pacote completo de TV a cabo, quando não se tem tempo para assistir a programação completa, assinatura de revistas que não consegue ler e outros diversos serviços. Já calculou o custo anual destes serviços?

Calcula quanto você poderia estar investindo no seu futuro? A minha intenção aqui e levar a uma reflexão sobre os efeitos do consumismo e a falta de cultura ao conceito de poupança. A economia começa em evitar o desperdício. O conceito de economia deve ser inserido na rotina da família e realizado por todos. Não podemos esquecer que o exemplo é o que fala mais forte. Coisas simples como não deixar comida no prato, bebida no copo, comprar alimentos perecíveis em quantidade menores para que sejam consumidos a tempo e não jogados fora. Não é novidade para ninguém que a fórmula básica para poupar é gastar menos do que se ganha, ou seja, independe de classe social o conceito é o mesmo, viver de acordo com as suas possibilidades e evitar desperdício. Porque a vida é uma escalada e tudo que você conseguir economizar vai se transformar em benefícios para você mesmo.